Por Gizmodo Brasil

Ar mais puro pode ajudar a salvar vidas, segundo uma nova pesquisa publicada na última sexta-feira (6). Ela constatou que políticas e leis destinadas a reduzir as emissões estão frequentemente ligadas a reduções de hospitalizações, nascimentos prematuros e mortes em apenas algumas semanas após a promulgação.

O estudo analisou pesquisas anteriores que avaliaram as principais reformas de poluição que ocorreram em todo o mundo, bem como dados históricos sobre mortes e doenças locais após sua ratificação. Foi conduzido pelo comitê ambiental do FIRS (Forum of International Respiratory Societies), uma coalização de organizações profissionais focadas na melhoria da saúde pulmonar e respiratória.

Nos EUA, por exemplo, eles descobriram que o fechamento de uma usina siderúrgica de Utah em meados da década de 1980 estava relacionado à menor poluição geral do ar durante o inverno e a um menor número de hospitalizações, faltas escolares e mortes causadas por problemas pulmonares, como asma dentro de um período de 13 meses.

Na Irlanda, na primeira semana de uma proibição pública de fumar, houve uma redução de 26% nos relatos de ataques cardíacos, bem como uma redução de 32% nos derrames, em comparação com a semana anterior. E durante as Olimpíadas de 2008 em Pequim, China, as políticas que limitavam as emissões das fábricas estavam ligadas a menos visitas ao médico relacionadas a problemas cardiovasculares nos próximos dois meses.

As descobertas do estudo foram publicadas no Annals of American Thoracic Society.

“Nós sabíamos que havia benefícios no controle da poluição, mas a magnitude e o curto período de tempo para resultados são impressionantes”, disse autor principal do estudo Dean Schraufnagel, um pesquisador da Universidade de Illinois em Chicago e membro antigo da American Thoracic Society, em um comunicado liberado pela Universidade de Birmingham, cujos pesquisadores também auxiliaram no relatório.

Para ler mais, clique aqui.