Nicola Ferreira Da Agência Einstein

A redução das atividades imposta pela pandemia de coronavírus apresenta impacto positivo sobre a poluição. Segundo o estudo feito pelo CREA (Centro de Pesquisa sobre Energia e Limpeza do Ar) – instituição independente cujo foco é analisar as relações entre a saúde e a poluição -, cerca de 11 mil mortes já foram evitadas na Europa devido à queda na concentração de poluentes na atmosfera.

O que registrou a maior diminuição foi o dióxido de nitrogênio (NO2), composto emitido pela combustão dos motores à explosão. Os níveis caíram 40% em comparação aos do ano passado. Já a concentração de PM 2.5 (material particulado emitido pelos veículos e facilmente inalável) reduziu 10%.

Os compostos fragilizam o sistema cardiorrespiratório e normalmente são responsáveis pela morte de aproximadamente sete milhões de pessoas todo ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Os países que registraram maiores índices de redução de mortes associadas à poluição foram a Alemanha (2.083), Reino Unido (1.752), Itália (1.490), França (1.230) e Espanha (1.083)

Leia a reportagem completa aqui.