Verão remete a férias, altas temperaturas e maior exposição aos raios solares. Mas, na hora de se proteger contra a radiação, os brasileiros deixam a desejar e se expõem a males como queimaduras, ressecamento e até câncer de pele. Pesquisa do Instituto Mauricio Pupo de Educação e Pesquisa (Ipupo) mostrou que 57% dos entrevistados não passam protetor solar todos os dias.

Outro dado do levantamento, feito com 1.024 pessoas, entre 18 e 65 anos, preocupa: 19% dos entrevistados usam o fotoprotetor apenas quando vão à praia, piscina ou caminhada e 71% não reaplicam o produto. A Anvisa recomenda a reaplicação após duas horas, já que após esse período o poder de filtrar as radiações UVA e UVB é reduzido.

O farmacêutico Lucas Portilho, especialista em Cosmetologia (área que estuda a aplicação de cosméticos) e que organizou o estudo ao lado do professor Mauricio Pupo, explica que o uso do filtro solar é uma das ferramentas mais importantes para prevenir o envelhecimento da pele e o câncer na região. “As pessoas não têm ideia do perigo que o sol pode causar. É preciso passar protetor até mesmo em dias nublados, pois a radiação continua entrando em contato com a pele, mesmo com uma intensidade menor ”.

CUIDADO

70% Dos entrevistados pela pesquisa não aplicam o filtro solar em dias nublados ou chuvosos. Porém, as nuvens não filtram a radiação e graves queimaduras de pele podem ocorrer mesmo nesses dias

86% Não perguntam ao dermatologista qual melhor indicação de protetor solar. Poucos sabem que o protetor solar adequado inclui a análise de características de pele, hábitos ocupacionais e histórico de doenças de pele.

134.170 novos casos estimados de câncer de pele melanoma (maligno), no Brasil, em 2012, segundo o Inca. Do total de casos, a maior parte (71.490) é em mulheres. Em 2010, 1.521 morreram vítimas desse tumor.

Brasil tem alto índice ultravioleta

Além de não passar o filtro solar, o brasileiro não se preocupa com outras formas de proteção. Ainda segundo a pesquisa, apenas 8% dos entrevistados utiliza roupas para se proteger do sol. Além disso, a maior parte dos entrevistados (52%) aplica o protetor apenas no rosto, deixando desprotegida a pele do restante do corpo.

Mauricio Pupo alerta que o Brasil é um dos países com maiores índices ultravioleta do mundo por se localizar numa região tropical do planeta. “Aqui, a exposição solar é uma cultura que está comumente associada a hábitos saudáveis, o que como já se sabe, nem sempre é verdade”, disse.

Segundo o estudo, os fatores de proteção (FPS) preferidos dos brasileiros são o 30 e o 50. Apenas 17% revelaram utilizar protetores solares com FPS igual a 60. Especialistas lembram que um fotoprotetor com FPS 30 já é considerado de uma alta proteção — absorve mais de 96% da radiação UVB.

Fonte: O Dia