Associações e organizações da sociedade civil que tratam de sustentabilidade se reuniram para elaborar uma carta destacando as considerações para a licitação da concessão de linhas de ônibus de São Paulo, elaborada pela Prefeitura de São Paulo e aberta para consulta pública até o dia 10 de agosto. Convidado para assinar o documento, o Instituto Saúde e Sustentabilidade incluiu observações relacionando a poluição e saúde, já que alguns pontos da licitação divergem de uma política com tecnologia menos poluente ao combustível fóssil.

Um deles é quanto à Lei de Mudanças Climáticas (nº 14.933 de 05 de junho de 2009) da Cidade de São Paulo, que propõe substituir até 2018 o consumo de combustíveis fósseis do transporte público por outros combustíveis com menores índices de emissões. A licitação proposta, no entanto, não inclui planos nem incentivos para cumprir a meta da lei.

Confira o artigo do Instituto Saúde e Sustentabilidade que fará parte da carta referente à consulta pública do edital de licitação. A organização internacional União Internacional de Transportes Públicos (UITP) foi responsável pela iniciativa do documento, que será entregue à SPTrans no dia 3 de agosto.