De Veja 

País supera Venezuela, Cuba e Argentina no uso de lenha em residências

Um levantamento inédito feito pela PUC-Rio, a UERJ e o Sindigás mostra que a fumaça tóxica causada pela queima de lenha em residências afeta 30 milhões de brasileiros.

A queima para o preparo de alimentos acarreta um custo anual superior a R$ 3 bilhões com mortes prematuras no país.

O Brasil está entre os maiores usuários de lenha na matriz residencial – 12%. É mais que o dobro dos países industrializados, à frente até mesmo dos latino-americanos, como Argentina, Uruguai, Chile, Equador, Cuba e Venezuela, que registram índices menores que 5%.

O Nordeste concentra o maior número de fogões a lenha, com 42% do total. Cerca de 80% da madeira é retirada da caatinga, sendo a principal causa de desmatamento desta vegetação.

Leia reportagem completa aqui.