O Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV EAESP, o Centro de Direitos Humanos e EMPRESAS da FGV Direito SP, o Centro de Aprendizagem em Avaliação e Resultados e o Centro de Microeconomia Aplicada da FGV EESP realizaram, no dia 12 de setembro, a oficina Diagnósticos socioeconômicos de desastres e grandes empreendimentos – Limites e possibilidades de avanço em avaliação, valoração e participação.

A oficina teve como objetivo o compartilhamento de conhecimento interdisciplinar entre especialistas e partes interessadas, sobre conceitos, melhores práticas existentes e lacunas da fronteira metodológica para avaliação de impactos e valoração de danos socioeconômicos, bem como para arranjos de governança que assegurem a tomada de decisão compartilhada desses processos.

 

O evento teve como programação:

9h-9h30 BOAS VINDAS E APRESENTAÇÃO
Mario Monzoni (GVces), Flavia Scabin (FGV.GDHeE), André Portella (EESP-FGV)
Contexto FGV, Objetivos do dia, Premissas do trabalho, Etiqueta relacional

9h30-11h PAINEL 1 :: IMPACTOS SOCIOECONÔMICOS: APROXIMAÇÃO DO DEBATE
Fundamentos e lacunas das práticas de avaliação de impactos sociais/ambientais/socioeconômicos e
manifestação no território, seja para a prevenção e controle de impactos, seja para o contexto de
desastres.

Debatedores Iniciais – Roda Central (7’cada)

  • André Correa (FGV.GDHeE): desafios e conceitos de avaliação, reparação, resiliência, valoração (material e
    imaterial)
  • Carolina Derivi (GVces): Metodologias de Social Impact Assessment: efetividade dos processos de
    diagnóstico, monitoramento e valoração
  • Nilvo Silva (FGV.GDHeE): protocolos internacionais para a construção de respostas a desastres
  • Edmundo Dias (MPF): desafios para avaliação de impacto no caso do desastre do Rio Doce

 

11h-12h40 PAINEL 2 :: VALORAÇÃO

Objetos e tipos de valoração, as situações a que se aplica, premissas de métodos, limites da valoração
monetária e alternativas.

Debatedores Iniciais – Roda Central (7’cada)

  • André Portela (EESP): Valoração econômica, análise de bem-estar
  • Alexandre Gross (GVces): Valoração de serviços ecossistêmicos
  • Lívia Pagotto (GVces): valoração não monetária (serviços ecossistêmicos culturais e danos imateriais)

 

14h-15h40 PAINEL 3 :: GOVERNANÇA DE DIAGNÓSTICO, MONITORAMENTO E VALORAÇÃO

Em reconhecimento ao caráter dinâmico do impacto, a roda discutirá a importância do monitoramento
continuado como parte do diagnóstico, assim como mecanismos de controle social atrelados à
distribuição de papéis e responsabilidades para governança desses processos.

Debatedores Iniciais – Roda Central (7’cada)

  • Flávia Scabin (FGV.GDHeE): Avaliação de Impactos em Direitos Humanos: arranjos participativos
  • Aline Carvalho (Ibama/DLIC): Caso Hidrelétrica Enerpeixe
  • Nelson Pedroso (FGV.GDHeE): estruturas de governança para resposta a desastres em casos
    internacionais
  • André Sperling (Ministério Público Minas Gerais): participação social no contexto do Rio Doce

 

16h-17h GRUPOS: PREMISSAS E PRÓXIMOS PASSOS

Perguntas Norteadoras: Quais as premissas para os três temas discutidos? Quais os próximos passos
para avanço nas pesquisas e metodologias?

17h-17h30 – SISTEMATIZAÇÃO E FECHAMENTO

Tags: