O impacto do gás dióxido de nitrogênio foi contabilizado pela primeira vez

Um estudo conduzido pela Greater London Authority e pelo Transport for London concluiu que a longa exposição à poluição na cidade de Londres, na Inglaterra, causa aproximadamente 9.500 mortes por ano – o dobro da quantidade prevista anteriormente. Partículas finas, como o MP2,5 e o gás tóxico de dióxido de nitrogênio são os maiores responsáveis pelas mortes prematuras.

O estudo é um dos primeiros, em escala mundial, a calcular o prejuízo do dióxido de nitrogênio.  O gás é proveniente de carros a diesel, ônibus e caminhões e afeta a capacidade dos pulmões e de seu crescimento.

Pesquisas anteriores, em 2008, atribuíram 4.267 mortes ao MP2,5, enquanto o índice em 2010 caiu para 3.537. No entanto, a redução não considerava o número estimado de mortes provenientes do dióxido de nitrogênio, 5.879, totalizando 9.416 mortes no ano de 2010.

Segundo o estudo, a maior parte dos óbitos causados pelo MP2,5 eram de partículas originadas, em maioria,  fora da área metropolitana. No entanto, as emissões de dióxido de nitrogênio eram predominantemente de veículos a diesel, entre outras fontes no ambiente urbano.

Confira o artigo na íntegra em inglês para saber mais.

Fonte: The Guardian