Com o propósito de sensibilizar os stakeholders, principalmente a comunidade médica, o governo e a sociedade civil em geral, o Instituto Saúde e Sustentabilidade, em parceria com a Associação Médica Brasileira (AMB) e a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), organizou a Conferência Doutores do Ambiente, no dia 28 de novembro de 2009, no salão nobre da Associação Paulista de Medicina.

O objetivo do encontro foi colocar face a face profissionais de saúde e representantes da Sociedade Civil com os “Doutores do Ambiente”, ou seja, todos aqueles que estão em posição de atuar em prol das ações para redução de emissões.

A abertura do evento contou com a participação do Prof. Dr. Marcos Boulos, Diretor da FMUSP e do Dr. Dana H. Hanson, presidente da Associação Médica Mundial (WMA). O Dr. Hanson destacou que na recente Assembléia Mundial Anual da WMA em Nova Deli a WMA definiu a questão ambiental – poluição e mudanças climáticas – como o maior desafio de saúde pública no século XXI e elaborou um documento sobre o assunto denominado Declaração de Dehli. 300 declarações foram distribuídas aos participantes durante a Conferência.

Clique aqui para ver a declaração.

Além de Boulos e Hanson, falaram ao público o Sr. Carlos Nobre (pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – Inpe), Dr. Sérgio Cortizo, (Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente), Sr. Casemiro Tércio (Coordenador do Departamento de Planejamento Ambiental da Secretaria de Estado do Meio Ambiente de São Paulo), Dr. Eduardo Jorge (Secretário do Verde e Meio Ambiente do Município de São Paulo), Prof. Dr. Adib Jatene, Dr. José Luiz Gomes do Amaral (AMB), Jorge Carlos Machado Curi, (APM), Dr. Antonio Carlos Chagas (Sociedade Brasileira de Cardiologia), Dra. Evangelina Vormittag (Diretora Presidente do Instituto Saúde e Sustentabilidade) e Dra. Cristina Godoy de Araújo Freitas (Promotora de Justiça).

O Prof. Dr. Paulo Saldiva, Professor Titular do Departamento de Patologia da FMUSP, falou sobre a questão ambiental sob a óptica da saúde. Ele comparou a cidade com uma paciente doente. Para exemplificar a analogia, o professor apresentou um vídeo realizado pela Disciplina de Telemedicina do Departamento de Patologia da FMUSP e Instituto Saúde e Sustentabilidade durante a sua palestra denominado: São Paulo, uma cidade doente.

Os participantes também foram agraciados com a distribuição de 300 exemplares do Sumário de Evidências desenvolvido a partir do workshop São Paulo: Sustentabilidade, Saúde e Cidadania.

Além das parcerias, a Conferência recebeu apoio de cinco renomadas Instituições: Associação Paulista de Medicina, Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Hospital Israelita Albert Einstein – Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa – Centro de Educação em Saúde Abram Szajman, Hospital Sírio Libanês – Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês e Telemedicina – Departamento de Patologia da FMUSP.

Ao foram 178 participantes, 13 palestrantes e 8 instituições envolvidas.

Para o Instituto Saúde e Sustentabilidade, a Conferência foi um importante passo rumo aos seus objetivos como entidade. O sucesso da mesma conferiu credibilidade e consistência ao Instituto, tendo sido um grande estímulo para prosseguir com seu trabalho.