10/08/2017

[EVENTO CANCELADO] Médicos apresentam novo estudo sobre índices de poluição em São Paulo e as consequências à saúde

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail to someone

Em memória as 11.000 pessoas que morrem no estado, ao ano, por problemas de saúde agravados devido à alta quantidade de poluentes na atmosfera, prédio da Associação Paulista de Medicina será envelopado por uma bandeira de luto de 22m de altura por 15,5m

 

No dia de Combate à Poluição, 14 de agosto, às 10h, a Associação Paulista de Medicina (APM) apresentará a jornalistas, em coletiva de imprensa, o Manifesto Público Ar Limpo Salva Vidas, além de um novo estudo sobre índices de poluição em São Paulo e as consequências à saúde humana.

O posicionamento dos profissionais médicos ocorre em virtude da necessidade premente de defesa e salvaguarda da população frente aos agravos e mortes precoces provocados pelo grave quadro de poluição do ar nas cidades de São Paulo.

O prédio da APM amanhecerá envelopado por uma bandeira de luto de 22m de altura por 15,5m de largura, em memória as 11 mil pessoas que morrem no estado, ao ano, por problemas de saúde agravados devido à alta quantidade de poluentes na atmosfera.

Médicos e cidadãos farão um ato público na esquina da Avenida Brigadeiro Luís Antonio com o Viaduto Dona Paulina. Atores especialmente convidados promoverão uma performance, trajados de preto e usando máscaras de oxigênio, enquanto distribuem à população materiais informativos sobre a poluição e dicas de como colaborar para reverter o preocupante quadro.

Segundo Paulo Hilário Nascimento Saldiva, médico patologista, professor universitário e pesquisador brasileiro, duas horas no trânsito para o morador da cidade de São Paulo equivalem a fumar um cigarro por dia. “Significa que inalamos veneno recorrentemente: todos nós. Se já é estarrecedor para os cidadãos, de forma geral, vira algo crítico em caso de grupos como gestantes, bebês, e portadores de problemas pulmonares, que nesse fumar involuntário podem sofrer graves problemas de saúde. A poluição hoje, sob o ponto de vista médico, tem evidencias para infarto do miocárdio, câncer de pulmão e prematuridade. No mundo, anualmente, estima-se que mais de 800 mil partos sejam prematuros pela exposição das mães a poluentes atmosféricos”.

 

Níveis críticos

O Manifesto Público Ar Limpo Salva Vidas traz dados surpreendentes, em especial quando trata da medição de poluentes no Estado. Diz um trecho do documento: “Ao se considerar o critério de emergência adotado para França, para o estado de São Paulo, haveria 480 dias de alertas de emergência no estado, contra ZERO dias de alerta pela CETESB. O nível crítico de emergência adotado por Paris, Londres e EUA, por exemplo, é menor que os padrões de qualidade do ar determinados pelo estado de São Paulo e Conselho Nacional do Meio Ambiente. E o nível crítico de emergência paulista e nacional é tão alto que não é alcançado”.

“Nossa intenção é contribuir com as políticas públicas de redução da poluição. Os médicos querem participar cada vez de forma mais intensa desse debate, disponibilizando conhecimento técnico-científico e colaborando ativamente para a melhoria da qualidade do ar nas cidades brasileiras. Nós, que lidamos com a saúde humana, temos a obrigação de trazer à luz a real dimensão do problema e trabalhar de maneira propositiva para, em parceria com as autoridades e gestores da área, criar condições adequadas à qualidade de vida”, explica Evangelina Vormittag, diretora de Responsabilidade Social e Ambiental da Associação Paulista de Medicina e diretora técnica do Instituto Saúde e Sustentabilidade.

A World Health Organization (WHO), ligada à Organização Mundial da Saúde (OMS), publicou, em 2015, que houve a perda precoce de cerca 8 milhões de vidas no planeta de alguma forma relacionadas à poluição do ar em 2012: 3,7 milhões devido à poluição externa e 4,3 milhões devido à poluição intradomiciliar. Isso significa que uma em cada oito mortes está vinculada à exposição ao ar contaminado. Dessa forma, essa questão se torna a principal causa de óbito por complicações cardiorrespiratórias associadas ao meio ambiente.

 

APM | Manifesto Público da Classe Médica do Estado de São Paulo “Ar Limpo Salva Vidas”

Data: 14 de agosto de 2017
Horário: 10h
Local: APM – Av. Brigadeiro Luís Antonio, 278 – Bela Vista
Telefone: (11) 3188-4250

Informações à imprensa
Acontece Comunicação e Notícias
Kelly Silva ou Geovanna Bispo

(11) 3853-0770 / 3871-2331
acontececom3@uol.com